Projeto Hitchcock: O Mistério do Número 17 (1932)

07/03/2011

“Parece que temos uma compulsão atualmente em enterrar cápsulas do tempo  para dar às pessoas do próximo século alguma idéia do que somos. Eu preparei  uma das minhas próprias cápsulas do tempo. Coloquei umas amostras de  dinamite, pólvora e nitroglicerina. Minha cápsula do tempo vai até o ano 3000.  Ela mostrará a eles o que realmente somos” Alfred Hitchcock

Crédito: Submarino

“Um filme terrível”. Foi assim que o próprio Hitchcock se referiu a este O Mistério do Número 17. E quem sou eu para discordar do Mestre? Acredito que essa opinião deva ser unânime a todos os espectadores sérios que decidam assistir a esse trabalho de Hitchcock, já que o filme padece de muitos problemas, impedindo qualquer chance de entretenimento.

O fiapo de história gira em torno de um homem (John Stuart) que decide investigar o motivo de uma casa à venda estar com as luzes acesas. Lá, ele encontra Ben (Leon M. Lion, que também produziu o longa), um maltrapilho bem-humorado, e um corpo. Ao tentar resolver esse mistério, ele se vê encurralado em uma reunião de ladrões, que estão prestes a deixar o país levando os frutos do seu mais recente roubo. Continue lendo »


Projeto Hitchcock: Ricos e Estranhos (1931)

03/03/2011
“Nunca disse que todos os atores são gados; o que eu disse foi que todos os
atores deveriam ser tratados como gado” Alfred Hitchcock

Créditos: British Pictures

Sabe aquele filme que é bastante promissor mas que nunca chega a lugar nenhum? Pois assim é Ricos e Estranhos, mais um filme decepcionante de Hitchcock. O Mestre acertou muito pouco nessa época, mas isso deve ser devido à produtora que o havia contratado, a British International Pictures. A empresa também seria parcialmente culpada pela má qualidade do seu próximo longa, O Mistério do Número 17, o próximo a ser criticado pelo CineAnálise.

A principal falha de Ricos e Estranhos é que ele não se define muito bem: não é um suspense ou uma comédia, tem conflitos muito fracos para ser um drama, sem ser tampouco uma análise de personagens, devido à superficialidade destes. O filme pode até não ser monótono e conter algumas boas sacadas, mas há de se convir que ele não chega nem perto de outras obras-primas de Hitchcock. Continue lendo »